Você não sabe o quanto eu caminhei pra chegar até os 30

Não sei você, mas eu sempre achei que o tal dos 30 anos demoraria muito para chegar, mas a verdade é que a consciência desta idade só obtemos mesmo quando ela está muito próxima de acontecer. Acredito que seja pelas inúmeras decisões importantes que temos que tomar dos 20 aos 30. Esta década creio ser uma das mais cruciais, uma vez que decisões tomadas neste período, definirão muitas coisas que vivenciaremos nas próximas décadas.

Você não sabe o quanto eu caminhei para chegar até os 30 1

Para mim, a “LIBERDADE” foi uma das maiores conquistas obtidas durante os vinte e poucos anos. Com ela me achei, me perdi, me achei de novo. Talvez essa tenha sido a “prova dos nove” no quesito de colocar em prática todos os meus valores, aqueles adquiridos durante a infância e adolescência.  Para minha mãe e meu pai-vô com certeza uma fase de ter ficado com o coração pequenino por me deixar voar, mas que eles sabiam muito bem o quanto era necessário. Afinal, tudo o que eles fizeram por mim, continuaram em mim. As duas décadas anteriores serviram para fortalecer vínculos vitalícios!

Foi com a liberdade adquirida na minha década de 20 que defini que carreira seguir, saí de casa, fiz todos os tipos de cursos que pude, passei por inúmeras experiências profissionais até decidir o que realmente queria, ri e chorei muito, mudei de cidade, vivi algumas crises existenciais, passei alguns inesquecíveis perrengues, conheci lugares especiais dos jeitos mais inusitados, e claro, tive alguns amores que foram vivenciados ao máximo. Mas, o maior deles eu vivi na segunda metade desta década quando tive a sorte de achar minha alma-gêmea, casar com ela e estar ao seu lado até hoje. E olha só, quase ia esquecendo: criei o projeto deste site também durante este período e também continuo com ele até hoje! (Hahahaha)

Bom, nessa intensidade de experiências não tive como fugir do tema “perpetuação da espécie” que inevitavelmente veio à tona. Mas como, com tanta coisa ainda a ser experimentada? Ah, vamos deixar esse assunto para depois? Pois é, esse “depois” para mim aconteceu justamente aos 30.

Você não sabe o quanto eu caminhei para chegar até os 30 2

Foto: Monique Souza

Foi nos meus 30 que pude vivenciar uma das experiências mais sublimes que uma mulher pode ter: parir um filho. Ou melhor, uma filha! Com os 30 e a chegada da Isabella, um novo mundo cheio de significados e possibilidades se abriu para mim.

E agora que você já sabe (e já eu refleti) “um pouco” do quanto caminhei para chegar até aqui, que venha os 40! Ainda faltam 9 anos para eu chegar lá, mas passará rápido. E se antes inúmeras eram as decisões sobre mim mesma que não me faziam ter muita consciência da chegada dos 30, com certeza estarei muuuuito ocupada para pensar na chegada dos 40. Viver plenamente a maternidade, direcionar minha filha no caminho do bem, alçar projetos profissionais inspiradores, amar de forma ainda mais simples e profunda meu companheiro, conquistar novas amizades e manter os queridos amigos e amigas que já tenho são alguns caminhos a serem seguidos.

Tenho certeza que esta década também será triunfante e especial. A vida sempre nos reserva grandes surpresas e vivenciar todas elas intensamente sempre será uma grande dádiva!

Daniella, a intensa

Sobre Daniella, a intensa

Para viver preciso acreditar nos sentimentos mais profundos que a alma humana pode oferecer. O infinito para mim é bastante atraente e o "meio termo" praticamente não existe. Tenho uma alma intensa, carismática, dramática. E é com toda essa intensidade que procuro dar o meu melhor como mãe, esposa, filha, irmã, amiga, jornalista, poetisa!

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *