Uma feminista contra o aborto

Sempre fui meio feminista. Daquelas que desde que criança já percebia uma certa diferença em como os meninos e meninas são tratados.

Se você nasceu garoto é estimulado desde sempre a ser forte, corajoso, destemido. Mas se nasceu menina, é encorajada a ser educada, elegante, cuidar da aparência e ter sempre um ar de doçura.

Os meninos crescem ouvindo: “bom garoto, é isso aí campeão!”. Enquanto as meninas: “ah, como você é linda! Olha o vestidinho dela que fofo! E o sapatinho?”.

De uma forma geral, os meninos crescem para ser super-heróis, enquanto as meninas sonham em ser princesas.

Independente disso, o tema mais polêmico que envolve o universo feminista, o aborto, está longe de ser uma alternativa possível para mim. Entendo e concordo com o “meu corpo, minhas regras” e não quero, jamais, julgar que pratica o aborto ou é a favor do aborto.

O que eu quero é expor os motivos pelos quais eu não faria isto.

Primeiramente acredito que a concepção da vida se dá no ato da fecundação e desde então o feto e a mulher já estão interligados em vários níveis cósmicos. São inúmeros os relatos de mulheres que já se sentem gravidas com uma semana de gestação.

Creio em uma relação kármica muito grande entre mães e filhos, em que um vem para ajudar o outro neste plano para se recuperar nos planos superiores. Por isso que, as mulheres que engravidam e abandonam as crianças por não terem condições financeiras de criar, estão abandonando também os karmas e dharmas que deveriam passar nesta vida para o crescimento espiritual. Elas estarão de volta, em outras vidas, experimentando os mesmos sofrimentos e aflições e quem sabe, abandonando novamente as oportunidades de evoluir.

De uma forma menos esotérica da coisa, há mulheres que e acham muito novas para serem mães ou que ainda não estão preparadas para esta grande mudança. Lembrem-se que a mãe nasce junto com o filho. Sempre foi assim e sempre vai ser.

Eu sei que você deve estar se perguntando sobre o estupro. E para isso eu deixo uma reflexão: O significado de “o fruto do seu amor” e “o fruto de um estupro” é você quem cria. Você pode ressignificar este conceito, oferecendo amor genuíno para um ser inocente que aguarda uma oportunidade de viver e ser, assim uma super-heroína para o seu filho.  Além do mais, contos de fadas não existem e você já deveria saber.

Mariana, a sensível

Sobre Mariana, a sensível

Sou apaixonada por tudo que se move ou move algo dentro de mim. O diferente me fascina e o improvável me desafia a querer me superar em todos os sentidos. De modo geral, acredito nos ensinamentos do mestre Mahatma Gandhi: de modo suave, você pode sacudir o mundo.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *