“Um vegano incomoda muita gente…”

“Um vegano incomoda muita gente...” 1

Uma experiência comum para todos os que iniciam no vegetarianismo e veganismo é uma rotulação desnecessária e insensível de pessoas que preferem chamar de chatos aqueles que só estão tentando fazer a sua parte.

Rotular realmente não é uma forma muito inteligente de identificar um grupo, já que sempre existem as exceções e nunca devemos generalizar.

Entretanto, o “vegano chato” ou “ecochato” já se tornou um personagem da nossa sociedade contemporânea.

No geral, as pessoas se incomodam muito de saber de onde vem seu alimento, do que se passa em um matadouro e de toda a crueldade que estão financiando. É como uma criança que tampa os ouvidos com as palmas das mãos e fecha os olhos dizendo “lalala isso não está acontecendo”.

Tenho convicção de que as pessoas que mais se incomodam com os “veganos chatos”, são as que mais se sentem culpadas, embora nunca vão assumir.

Acontece que é muito difícil ficar calado enquanto seres inocentes estão sendo explorados até a morte, enquanto o holocausto animal está diante de nossos olhos.  E sobre ser radical, não existe meio termo quando o assunto é defender os animais. Ou você está dentro ou você está fora.

A maioria dos veganos ou vegetarianos precisou de um “clique”, ou seja, uma chave que virou e que a partir dali tudo começou a fazer sentido. Ou melhor, nada mais daquilo fazia sentido e então, a forma de ver o mundo jamais seria a mesma.

Pode ser um vídeo, um depoimento, uma experiência, um olhar, por mais simples que seja, a experiência pode tocar o coração de uma pessoa para sempre.

“Um vegano incomoda muita gente...” 2 É por isso que os veganos, sobretudo os que estão iniciando no movimento, acabam incomodando. Ao mesmo tempo em que ninguém quer saber a verdade, eles querem alertar sobre o quanto estamos sendo enganados pela mídia, pelas grandes marcas, pela pecuária e por uma cultura pré-histórica. É mais ou menos como a nossa mãe dizia: “é para o seu bem”.

O problema é quando se sentem ou se intitulam superiores e mais evoluídos moralmente pela mudança em seu estilo de vida. Se esquecem que um dia já consumiram produtos de origem animal e que a nossa cultura influencia de maneira muito covarde no estilo de vida das pessoas.

A questão realmente não é essa, já ninguém é superior e todos têm o seu tempo de perceber ou a têm a sua própria visão sobre a coisa.

Um exemplo são as pessoas que acreditam que os animais estão aqui na Terra para servir os homens, que os cachorros são animais que devemos amar e os porcos são pedaços de bacon ambulantes, ou que “não chegaram no topo da cadeia alimentar para comer alface”. Estas dificilmente mudarão de opinião e devemos respeita-las por isso, pois o olhar sobre a mesma coisa é um olhar diferenciado. Nesse sentido, eles nunca vão ver através do mesmo filtro que estamos vendo, obviamente.

Como eu disse anteriormente, não podemos generalizar. Em todos os movimentos, grupos, partidos e até em nossa família existem as ovelhas negras que não representam o todo.

Faça a sua parte e se sinta em paz por isso!

 

 

Mariana, a sensível

Sobre Mariana, a sensível

Sou apaixonada por tudo que se move ou move algo dentro de mim. O diferente me fascina e o improvável me desafia a querer me superar em todos os sentidos. De modo geral, acredito nos ensinamentos do mestre Mahatma Gandhi: de modo suave, você pode sacudir o mundo.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *