Teu passado te condena… ou te absolve

Esta semana comecei a estagiar numa escola estadual que trabalhei há vinte anos.  Lá encontrei duas professoras que trabalharam comigo na mesma época. Uma delas é a vice-diretora e a outra é a coordenadora pedagógica. Elas ficaram tão felizes em me ver. Ambas disseram que eu as ajudei no passado. Embora eu não me lembre de como as ajudei, fiquei feliz pelo carinho delas.

Fiquei pensando na maneira que levamos nossas vidas, que frutos deixamos pelos caminhos que passamos. Que impressão deixamos para as pessoas que cruzaram nossos caminhos. E se eu tivesse causado uma má impressão, será que teriam me recebido tão bem?

Desde bem jovens tenho uma postura de contribuir para tornar do mundo um lugar melhor. Nunca fiz coisa grandiosa, mas sempre que possível contribuo para que alguém se sinta melhor.

Às vezes encontramos pessoas que parecem fazer questão de tornar nossas vidas difíceis. E espalham pedras e espinhos por onde passam, magoam e ferem pessoas.

Por que não fazer mais leve as nossas vidas e as vidas das pessoas com quem convivemos?

Minha avó dizia que a vida é um espelho e devolve-nos o reflexo que lançamos nela. Sempre me lembro disso e aplico em minha vida.

Desejo que vivamos de tal maneira que o reflexo de nossas vidas seja do bem que praticamos e da leveza com que vivemos.

Acir, a viajante

Sobre Acir, a viajante

Faço do mundo a minha morada, conhecendo lugares nunca vistos. Conheço a mim mesma me vendo em outros rostos, em outras culturas. O meu encontro e encanto com outros mundos é o encontro e encanto com uma parte adormecida e inexplorada em mim, que anseia pelo desconhecido.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *