Tarde de chuva

Tarde quente e úmida. Procurávamos desesperadamente um lugar para concretizar o que nossa pele exalava: o desejo selvagem de copular nossos corpos. Lugar algum parecia adequado.

Tarde de chuva 1Decidimos caminhar. Talvez a vontade passasse. Até que a fresta da porta de uma casa abandonada surgiu na nossa frente como um convite irrecusável. Principalmente agora que a chuva começava a cair. A entrada era pequena. Uma murchada na barriga e uma rastejada pelo chão e já estávamos dentro daquele lugar que, para nós, apresentava-se como um palacete. Sem camas, sem banheiros. Apenas teias de aranhas, ferramentas e objetos antigos abandonados, empoeirados. Senti uma respiração ofegante em meu ouvido, uma mão suave adentrando minhas partes íntimas e uma pressão em meu corpo que subitamente me levou para a parede mais próxima, ao lado de um amontado de ferramentas que ao caírem da mesa velha que as acomodavam, revelou nossa real intenção naquele casebre.

– Será que alguém nos ouviu?
– Cala a boca e mete logo essa língua em mim!

Respirar era difícil. Com toda aquela movimentação, o fôlego estava por um triz. Mas a umidade entre as pernas era maior do que qualquer país de clima subtropical úmido com massas instáveis e ocorrências de chuvas bem distribuídas. Toda aquela água tornou tudo muito propício para que algo mais grosso acertasse locais nunca antes habitados por ambas as partes.

– Você acabou comigo!
– Você que me destruiu querida!

A tempestade já cessava. Levantamos nossas roupas, saímos rastejando pela fresta, desta vez sem precisar murchar a barriga. O sol voltou a esquentar a brisa, mas não o suficiente quanto àquela tarde de chuva que acabara de acontecer!

Daniella, a intensa

Sobre Daniella, a intensa

Para viver preciso acreditar nos sentimentos mais profundos que a alma humana pode oferecer. O infinito para mim é bastante atraente e o "meio termo" praticamente não existe. Tenho uma alma intensa, carismática, dramática. E é com toda essa intensidade que procuro dar o meu melhor como mãe, esposa, filha, irmã, amiga, jornalista, poetisa!

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *