Seus gestos

Repouso meu corpo no seu peito e me ajeito, bem daquele jeito que você sabe, me traz a paz. O cheiro de roupa limpa e o toque suave, riscando as unhas sobre o meu braço esquerdo em um vai e vem interminável. O meu ouvido está colado ao seu peito e eu me concentro na tentativa de escutar todos os segredos que habitam o seu coração. Quando penso que estou decifrando algo você interrompe o silêncio e beija forte o meu couro cabeludo, arrancando um sorriso que ninguém vê.

Quando sento ao seu lado não estou satisfeita. Minha perna procura a sua para estreitar o contato físico e assim, com uma experiência ímpar, você trava a minha na sua de uma forma tão confortável que eu tenho certeza que elas nasceram para ficar naquela posição.

Tem também aquele olhar que só você dá. Uma piscada leve com os dois olhos e um ar sereno como quem diz que está tudo bem. É a partir daí que fica tudo bem mesmo.

Passear de carro sem sua mão descansando sobre a minha coxa não me parece fazer sentido. Assim como andar mais de três passos sem entrelaçar meus dedos aos seus.

De todos seus gestos o mais terno talvez seja aquela apertadinha na minha bochecha.  Aquela que você faz com as duas falanges dos dedos, quase que sem motivo, sem critério, apenas para não perder o costume.

Seus gestos não fazem de você especial, pois não te amo por causa deles. Eles fazem com que eu me sinta especial e com que eu te ame ainda mais pela singeleza de cada um deles.

Mariana Dorigatti

Sobre Mariana Dorigatti

Sou apaixonada por tudo que se move ou move algo dentro de mim. O diferente me fascina e o improvável me desafia a querer me superar em todos os sentidos. De modo geral, acredito nos ensinamentos do mestre Mahatma Gandhi: de modo suave, você pode sacudir o mundo.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *