Sem crise nos 30

Os tempos passaram e de repente a velinha do seu bolo de aniversário ganhou o algoritmo 3. A princípio é assustador pensar que até ontem você completava 20 anos e, agora está prestes a vivenciar uma nova década.

Pode ser que aos vinte e poucos você planejava sua vida bem diferente, no mínimo uma pessoa com mais idade e poderosa, aliás poderosíssima. Mas não, a verdade é que você continua envelhecendo e, pode estar um pouco ferrada.

As pessoas deduzem que você tem filhos e desejam matar a curiosidade de quantos. Se veem uma criança sozinha, correm logo perguntar se você é a mãe da criatura. Isso acontece mesmo você estando num relacionamento fora dos “padrões”.

Alto lá mocinha, depois dos 30 tudo se complica!!!

Nessa fase da vida, até as prateleiras da farmácia mantem um diálogo curto e grosso com você: “anti-idade”, “creme para rejuvenescimento”, “anti-ruga”.

Aos 20 você bota defeito no seu peito durinho e apontado ao norte e, aos 30 investe nos exercícios físicos para vencer a lei da gravidade.

É bem comum estabelecer a paz com as coisas das quais você desprezou por quase 3 décadas e, aceitar a circunferência da barriga, a tal naturalidade dos cabelos e enxergar que você tem estilo próprio. Nesse estágio da vida ser saudável é o que interessa.

Não estranhe se suas leituras de cabeceira forem sobre alimentos orgânicos ou alguma coisa relacionada a dieta da mente, meditação, como alcançar a felicidade plena ou coisas do tipo.

Também não é de se estranhar que os prazeres sejam outros. É muito gostoso receber um “Eu te amo” no whatssap, mas é muito bom ler que o cheque especial da sua conta bancária não está no vermelho. Ufa!!!

Aos 30 você descobre que o amor ideal só existe na tela do cinema e que na vida real é mais tiro, porrada e bomba. Não necessariamente nessa ordem.

Se antes suas aventuras era conhecer o mundo viajando com a mochila nas costas, hoje é provável que você repense uma viagem mais curta, faça inúmeros cálculos das contas de final do mês e esteja precavida por uma singela cartelinha de Dorflex.

Apesar de todas as dores e delícias da vida, você se torna uma pessoa menos careta aos 30 e descobre que viver é extremamente bom.

Sobre Monique, a destemida

Para mim o céu é o limite. Vivo como uma adolescente que sonha em mudar o mundo. Acredito no ser humano e na força do bem sobre o mal. Curiosa por natureza e jornalista por formação, adoro conhecer pessoas por meio de suas histórias e transformá-las num belo registro fotográfico. Paixão e ousadia que me levaram aos caminhos do fotojornalismo.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *