Pokémon Go: tanto preconceito pra quê?

Tem muita gente torcendo o nariz para Pokémon Go: tanto preconceito pra quê? 1os marmanjos que brincam de caçar monstrinhos. As pessoas têm essa mania…é um tal de criticar tudo o que é novidade, principalmente quando o assunto é tecnologia. Todos se lembram de quando apontavam a futilidade do Facebook, que hoje é a maior ferramenta de marketing digital do mundo. E o Whatsapp que chegou causando estranheza e hoje supera 1 bilhão de usuários, em constante crescimento? Haters, simplesmente parem!

O Pokémon Go para nós, que beiramos os 30, traz uma deliciosa sensação nostálgica da década de 90, quando éramos crianças e pré-adolescentes sofrendo a cada batalha de Ash e tentando decorar o lema da equipe Rocket.

Engraçado como ninguém critica que é fã de Chaves e Chapolin Colorado.

Acontece que o Pokémon Go, em pouco tempo já se tornou muito mais que um passatempo.

No hospital infantil de Michigan, nos Estados Unidos, o jogo está mudando a realidade de seus pacientes. Fazer os pequenos saírem dos leitos e percorrerem as alas atrás de pokémons faz as crianças interagirem e, sobretudo, esquecerem um pouco da dor.
Os cãezinhos também saem ganhando já que passear com o nosso amigão passou a ter um atrativo a mais. E foi pensando nisso que um abrigo de cães abandonados em Indiana, criou uma campanha convidando os pokelovers que também amam os caninos a levarem um companheiro em sua caça pela vizinhança, unindo o útil ao agradável.

E por falar em unir o útil ao agradável, que tal um pokestop bem na sala de coleta de sangue? Enquanto contribui para o hemocentro de sua cidade, você pode recarregar suas pokebolas.

Crianças com autismo e pessoas com fobias sociais também são beneficiadas com um jogo que contrapõe o isolamento e, de quebra, faz as pessoas se exercitarem diminuindo o nível de sedentarismo.

Como não amar?

Aos que não curtem, por favor, apenas parem de dizer que vamos ficar alienados, que seremos assaltados e que a NASA vai espionar nossas casas. Só queremos, por um tempo, voltar a ser crianças e fugir desta hipócrita disputa de egos e julgamentos que é a vida adulta!

 

 

 

 

 

Mariana, a sensível

Sobre Mariana, a sensível

Sou apaixonada por tudo que se move ou move algo dentro de mim. O diferente me fascina e o improvável me desafia a querer me superar em todos os sentidos. De modo geral, acredito nos ensinamentos do mestre Mahatma Gandhi: de modo suave, você pode sacudir o mundo.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *