O tempo

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Hoje fiquei olhando para os meus netos, tão lindos, espertos e crescendo. O tempo os faz crescer, já não são mais bebês, os rostinhos estão mudando, se transformando em rostinhos de meninos. 

Fiquei pensando no Tempo que ao mesmo tempo que nos bate, nos afaga, às vezes nos tortura, às vezes nos consola. Herói ou vilão, vai nos roubando os melhores anos de nossas vidas, rouba nossas memórias, nossos sonhos, vai nos transformando e nos levando para um caminho sem volta.

Faço minhas as palavras do poema de Mário Quintana: “O Tempo”

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado…
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Acir, a viajante

Sobre Acir, a viajante

Faço do mundo a minha morada, conhecendo lugares nunca vistos. Conheço a mim mesma me vendo em outros rostos, em outras culturas. O meu encontro e encanto com outros mundos é o encontro e encanto com uma parte adormecida e inexplorada em mim, que anseia pelo desconhecido.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *