O melhor presente de todos

No sábado passado, dia doze de outubro  foi comemorado o dia da criança. Na TV estava passando uma reportagem que mostrava filas enormes de pais comprando presentes  para seus filhos. Pais preocupados em agradar os filhos, comprando presentes caros, com se isso fosse responsável pela sobrevivência deles.

Fiquei pensando sobre “presentes”. Qual o melhor presente de todos?  Então liguei para meu filho e perguntei: – Filhote (eu o chamo assim), qual foi o melhor presente que eu já te dei? E ele respondeu: – Você me ensinou a ser a pessoa que eu sou.

Então fiquei pensando que pessoa eu criei? Meu filho é um rapaz bonito e de sorriso fácil, tem um bom senso de humor, tem amigos desde jardim de infância, é amável e atencioso com as pessoas.  Gosta de cinema, música, livros, jogos.

Ele não teve presentes caros na infância, acho que o presente mais caro que ele teve foi uma caixa de Lego e era o que ele mais gostava de brincar, a gente montava casas, carros, juntos. Ele tem essa caixa de Lego até hoje.

O melhor presente para um filho é estar junto, brincar, conversar, ouvir, ler e contar histórias, tomar sorvete, rir junto. Coisas simples que não custam muito.

O importante é ensinar os filhos a “ser” e não a “ter”. E num mundo louco e consumista que vivemos, as pessoas acabam confundindo as coisas e o ter passa a ser mais importante do que ser. E acabamos passando isso para nossos filhos. E acabamos transformando criancinhas adoráveis em criaturas vorazes e insatisfeitas que só querem ter e ter.

O melhor presente de todos é estar presente na vida de nossos filhos. É fazer coisas simples e interessantes juntos. Meu filho se lembra dos passeios que fazíamos a livrarias, a parques. Coisas simples que fazíamos juntos e eu levava seus amigos também e o interessante é que seus amigos também se lembram desses momentos tão simples, divertidos e prazerosos.

Richard Bach diz no seu livro “Longe é um lugar que não existe” que “presentes de lata e vidro amassam e quebram”. Presentear é uma arte e os presentes que vem do coração duram para sempre e a gente não esquece nunca.

Acir, a viajante

Sobre Acir, a viajante

Faço do mundo a minha morada, conhecendo lugares nunca vistos. Conheço a mim mesma me vendo em outros rostos, em outras culturas. O meu encontro e encanto com outros mundos é o encontro e encanto com uma parte adormecida e inexplorada em mim, que anseia pelo desconhecido.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *