O Circo

O Circo 1

No sábado à tarde meu filho e eu, levamos os pequenos no circo. Foi a primeira vez que os meus netos, o Chris de dois anos e meio e o David de um ano foram ao circo. Vi nos olhinhos deles o mesmo encanto que que ainda tenho pelo circo. As crianças, tão pequenas, ficaram três horas assistindo o espetáculo. O meu netinho de dois anos fala: “circulo”, é tão bonitinho! Ele dizia: – Vovó, eu vou no “circulo”.

Mesmo com toda modernidade e tecnologia o circo continua encantando adultos e crianças. Para mim o circo é mágico! Eu amo as reprises de palhaços. Gosto dos palhaços de arte popular que faz a gente rir à toa.

Meu amigo Christian Mathias do Circo Além da Lona tem o palhaço Oscarito que eu amo de paixão. É um palhaço com um humor simples e refinado, posso assistir a mesma reprise dele mil vezes que eu vou rir as mil vezes. O Oscarito tem a magia das infâncias, o encanto que só as criança sentem. Cada palhaço é único, têm arte e identidade própria.

Encontre um texto lindo nesse blog Palavra de Palhaço: http://palavradepalhaco.blogspot.com.br , que quero compartilhar com vocês.

Ser palhaço é um estado de espírito, é preciso se conhecer. O palhaço pode significar uma porção de coisas. Para alguns, apenas um idiota pintado, para outros, um artista que faz rir… Mas ele significa muito mais que isso…

Para as Crianças então, ele é uma face de sua própia identificação, um prêmio para alma, imagem que permanece no seu mundo pelos anos afora!
A elas que começam a aprender a se relacionar com a ordem e as regras básicas da convivência em sociedade, o palhaço é um cúmplice. Ele se atrapalha, ele não sabe, ele erra. Então a criança ri porque se identifica, e ao mesmo tempo começa a exercitar seu olhar critico. Rindo ela se sente inserida no mundo das regras.
O palhaço sempre existiu! Sujeitos atrapalhados, lesos, capazes de espertezas infantis, ágeis e “songa” ao mesmo tempo. O palhaço é uma mentira. Ele é bobo esperto. Romântico, lírico e capaz das maiores vilanias. Ele pode ser cruel e delicado, ingênuo e pícaro.
O palhaço não representa, ele é. O trabalho de criação de um palhaço é extremamente doloroso, pois confronta o artista consigo mesmo, colocando à mostra os recantos escondidos de sua pessoa; vem daí seu caráter profundamente humano.

Cada Palhaço tem sua identidade. O palhaço tem suas roupas largas demais, ou curtas demais, porque estas não as pertenciam; o mesmo acontece com os seus sapatos.

Mas o figurino de um palhaço deve ser o que mais o revela! O nariz é vermelho, pois quando choramos, ele fica vermelho. Se bebemos ou caímos, o nariz também sinaliza enrubescido.

Infindáveis são os tipos de palhaços que existem ou ainda existirão, pois são como a vida: inusitados, loucos, apaixonantes e insólitos!

Acir, a viajante

Sobre Acir, a viajante

Faço do mundo a minha morada, conhecendo lugares nunca vistos. Conheço a mim mesma me vendo em outros rostos, em outras culturas. O meu encontro e encanto com outros mundos é o encontro e encanto com uma parte adormecida e inexplorada em mim, que anseia pelo desconhecido.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *