O cheiro do Brasil

cheiro1

Uma amiga muito querida mudou-se  com a família para os Estados Unidos há  cerca de um ano. Alexia, sua filhinha de seis anos, recentemente disse à mãe que sentia falta do cheiro do Brasil. A mãe surpresa perguntou para a menina: – O Brasil tem cheiro do quê? A menina respondeu como se fosse a coisa mais óbvia do mundo: – O Brasil tem cheiro de manga, de jaca, de melancia, essas coisas, mãe!

Segundo a psicóloga e doutora Angelita Correa Scardoa no seu artigo – Os sentidos da felicidade, a relação entre cheiro e emoção pode ser entendida a partir da investigação do processamento das informações olfativas pelo sistema sensorial. “Quando sentimos um aroma, de imediato as amígdalas trabalham e relacionam aquele odor à ação que está ocorrendo ou como nos sentimos naquele momento. O cheiro é, então, guardado na memória acompanhado da emoção/sentimento que estamos vivenciando naquele momento. Quando voltamos a sentir o mesmo cheiro, a memória afetiva é ativada, e a conexão entre o aroma e a emoção correspondente torna-se perceptível. É por isso que, às vezes, somos acometidos pela lembrança de uma situação passada na presença de determinados odores. Ou seja, é quase impossível dissociar cheiro de afeto!” 

Eu sou uma pessoa extremamente olfativa, os cheiros e aromas fazem parte de mim desde que me entendo por gente. Quando criança, meu avô ensinou-me a sentir os cheiros que nos rodeava, cheiro de terra molhada, cheiro de chuva, de grama cortada, o cheiro de diversas plantas aromáticas, o cheiro das mine rosas brancas que ele tanto gostava. Ele dizia:- Vai chover, sinta o cheiro da chuva! – Quando chove, a terra fica feliz! Sinta o cheiro!

E eu fui aprendendo a conhecer os cheiros e guardando-os em minha memória. E quando paro e fecho os olhos, sinto os cheiros do meu avô. Meu avô tinha cheiro de infância.

Quando viajo, o que mais gosto é sentir o cheiro dos lugares que visito. A Suíça tem cheiro de chocolate, de organização, de direitos respeitados, de segurança. Paris tem cheiros requintados de coragem, de lutas e vitórias. Londres tem cheiro de nobreza, de conquistas. Mendoza na Argentina tem o cheiro das vinhas, das olivas, das montanhas. New York tem cheiro de imigrantes misturado com sonhos e desejos. Para mim, todos os lugares tem cheiros especiais.

E voltando a falar dos cheiros dos Brasil, como a Alexia, a filhinha da minha amiga, eu também sinto falta de alguns “cheiros” do Brasil. Sinto falta do cheiro de bons governantes, sinto falta do cheiro de políticos honestos. E principalmente, sinto falta do cheiro de um Brasil mais justo.

Acir, a viajante

Sobre Acir, a viajante

Faço do mundo a minha morada, conhecendo lugares nunca vistos. Conheço a mim mesma me vendo em outros rostos, em outras culturas. O meu encontro e encanto com outros mundos é o encontro e encanto com uma parte adormecida e inexplorada em mim, que anseia pelo desconhecido.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *