Negros, graças a Deus!

Na semana em que se comemora a Consciência Negra, minha homenagem a tantos nomes que mudaram a história dos negros no Brasil e no planeta e são motivos do orgulho de ser negro – nomes a lembrar, nomes a seguir e referenciar:

  1. Abdias do Nascimento, político e ativista social brasileiro. Foi um dos maiores defensores da defesa da cultura e igualdade para as populações afrodescendentes no Brasil. Em 2006, em São Paulo, criou o dia 20 de Novembro como o dia oficial da consciência negra.
  2. Alfredo da Rocha Viana Filho, o Pixinguinha, flautista, saxofonista, compositor e arranjador brasileiro. Considerado um dos maiores compositores da música popular brasileira, contribuiu diretamente para que o choro encontrasse uma forma musical definitiva, autor de Carinhoso.
  3. Angenor de Oliveira, mais conhecido como Cartola, foi cantor, compositor, poeta e violonista brasileiro. Tem como maiores sucessos, as músicas As Rosas Não Falam e O Mundo É um Moinho.
  4. Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, foi um importante escultor, entalhador e arquiteto do Brasil colonial, que deixou obras em Ouro Preto, Sabará, São João del-Rei e Congonhas. Entre os principais monumentos, a Igreja de São Francisco de Assis de Ouro Preto e o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos. Considerado pela crítica brasileira como o maior expoente da arte colonial no Brasil e o maior nome do Barroco americano. (enforcado)
  5. Al Hajj Malik Al-Habazz, Malcolm X, foi um dos maiores defensores dos direitos dos negros nos Estados Unidos. (assassinado)
  6. Barack Hussein Obama, advogado e político, eleito duas vezes presidente dos  Estados Unidos, sendo o primeiro afro-americano a ocupar o cargo.
  7. Daiane dos Santos, ginasta, foi a primeira ginasta brasileira, entre homens e mulheres, a conquistar uma medalha de ouro em uma edição do Campeonato Mundial.
  8. Desmond Tutu, ativista sul-africano e bispo anglicano que chegou à fama em todo o mundo durante a década de 1980 como um oponente do apartheid . Tutu recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1984. Combateu a a Aids, a tuberculose , a homofobia , transfobia , a pobreza e o racismo.
  9. Edson Arantes do Nascimento (Pelé), ex-jogador de futebol, o maior nome da história do futebol brasileiro.
  10. Isaura Bruno, atriz brasileira, a primeira negra a protagonizar uma telenovela, O Direito de Nascer, na extinta TV Tupi, na qual viveu a Mamãe Dolores.
  11. Jamelão, a voz do Carnaval, maior festa popular do Brasil. Sempre Mangueira
  12. James Joseph Brown Jr., simplesmente James Brown, cantor americano, dançarino, compositor e produtor musical, reconhecido como uma das figuras mais influentes do século XX na música.
  13. José Carlos do Patrocínio, farmacêutico, jornalista, escritor, orador e ativista político brasileiro. Uma das figuras mais importantes dos movimentos Abolicionista e Republicano no país.

  14. Kofi Atta Annan, diplomata de Gana. Foi secretário-geral da Organização das Nações Unidas, tendo sido laureado com o Nobel da Paz em 2001.
  15. Leonidas da Silva, atleta brasileiro, criou a famosa bicicleta no futebol.  Conhecido e homenageado como Diamante Negro, também deu nome ao chocolate da Lacta.
  16.   Lewis Carl Davidson Hamilton, britânico, o primeiro negro campeão de Fórmula 1 – 2008.
  17.  Louis Daniel Armstrong, cantor, solista, a voz mais rouca da história.
  18. Machado de Assis, escritor brasileiro, considerado o maior nome da literatura nacional. Poeta, romancista, cronista, dramaturgo, contista, folhetinista, jornalista, e crítico literário.
  19. Martin Luther King Jr., pastor protestante e ativista político americano. Um dos  mais importantes líderes do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, e no mundo. (assassinado)
  20. Michel Jackson, maior cantor de todos os tempos, em que se pese a sua negritude disfarçada.
  21. Milton Almeida dos Santos, geógrafo brasileiro, Prêmio Internacional de Geografia Vautrin Lud, Paris, em 1994, considerada a maior distinção neste campo científico, para o qual não existe o Prêmio Nobel Um dos 20 cientistas do Século XX pela Revista Isto É, em 1999.
  22. Nelson Mandela, presidente da África do Sul em 1994, depois de 27 anos preso pela luta antirracial e apartheid naquele país.
  23. Ray Charles, cantor e pianista. Reconhecido como o 2º maior cantor de todos os tempos, negou-se a cantar em estabelecimentos segregados.
  24. Rosa Louise McCauley, conhecida por Rosa Parks.  Costureira negra norte-americana, símbolo do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos. Ficou famosa, em 1º de dezembro de 1955, por ter-se recusado frontalmente a ceder o seu lugar no autocarro, ou ônibus, a um branco, tornando-se o estopim do movimento que foi denominado Boicote aos Autocarros de Montgomery e posteriormente viria a marcar o início da luta antissegregacionista. Foi uma inspiração pela luta da igualdade em todo mundo e para os discursos de Martin Luther King.
  25. Serena Jameka Ross Evelyn Williams, tenista americana,  todos os títulos de Grand Slams da turnê feminina e três medalhas de ouro olímpicas de duplas nos Jogos Olímpicos de 2000, nos Jogos Olímpicos de 2008 e em Londres 2012, além da medalha de ouro em simples, em Londres 2012.
  26. Stevie Wonder, compositor, cantor e ativista americano de causas humanitárias e sociais.
  27. Taís Bianca Gama de Araújo Ramos, atriz e modelo. Protagonista negra na TV Globo.
  28. Usain St. Leo Bolt, atleta jamaicano, considerado o maior velocista de todos os tempos.
  29. Zumbi dos Palmares um dos principais representantes da resistência negra à escravidão na época do Brasil Colonial. Líder do Quilombo dos Palmares, comunidade livre formada por escravos fugitivos das fazendas. (degolado)
  30. Yannick Noah, tenista francês, vencedor em 1983 do Torneio de Roland-Garros.

E muito mais: Carlinhos Brown, Lázaro Ramos, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Milton Gonçalves, Ruth de Souza, Zezé Motta e tantos, tantos, outros, inclusive meu pai que trazia sua negritude no nome, Tião Preto. Motivos e referências não faltam para apoiar nosso orgulho racial.

Denise, a transbordante

Sobre Denise, a transbordante

Transbordo em choros e risos, raiva e paciência, novidades e mesmices. Por pouco posso me indignar, como também explode em mim alegrias inesperadas por quase nada. Sou soma – de mim, dos outros, do mundo, do meu tempo. Às vezes, divisão; mas busco a multiplicação daquilo que acredito para que a essência não seja subtraída. Quero transbordar neste espaço com vocês, às quintas. Sou jornalista.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *