Livre como uma borboleta

Existem várias espécies de animais no mundo: grandes, pequenos, minúsculos, bonitos, feios, frágeis, fortes, enfim, animais. Dentre eles existe um ser que para mim é o mais lindo, forte e ao mesmo tempo, o mais sensível de todos: a borboleta.

Para quem não sabe, as BORBOLETAS vivem em média, de duas semanas há um mês, com exceção da BORBOLETA Monarca (Danaus plexippus), que pode viver até nove meses. (http://www.borboleta.org).

O que me surpreende neste ser, além da beleza é  a força que ela tem para sair do casulo. A potência que ela usa em suas asas é que a faz alçar seus primeiros voos. Por isso, não se pode de maneira alguma ajudar uma borboleta sair do casulo, pois se isso acontecer ela morre.

Também me surpreende sua forma de viver: livre, linda, delicada. Muitas vezes elas voam entre nós, mas na correria do dia a dia nem notamos.  As vezes me pego pensando: será que aquela borboleta azul que vejo está preocupada que vai morrer daqui a um mês? Não, não está. Porque ela passa por este plano com a missão de viver apenas esse curto período, mas mesmo assim ela vive em sua plenitude, com intensidade e com a função de ajudar na polinização das flores, procriar e contribuir assim com outros seres e o ecossistema.

Vivemos em média, 70 anos e muitas vezes durante este longo período, não chegamos nem perto da plenitude com que as borboletas vivem, por simplesmente acharmos que temos “uma vida toda pela frente”. E só valorizamos este tempo quando estamos próximo do fim ou quando sabemos que estamos doentes, ou quando alguém que amamos morre. Aí vem o pensamento de remorso: se eu tivesse feito isso, se eu tivesse feito aquilo ….

Por isso prefiro lutar por cada segundo com a delicadeza e a liberdade da borboleta azul, minha preferida, sem os ‘se’ que cercam nossas vidas. Não é fácil, pois muitas vezes temos que dar uma basta em muita coisa, em muitos ‘ses’ e isso às vezes magoa, fere e deixa a gente mais vulnerável a julgamentos. Porém ser uma borboleta na vida humana é uma missão para poucos, porque fatores sociais, tradicionais, judiciais e até familiares terminam impedido de assumirmos posturas de borboletas, ainda mais azul, uma cor tão representativa.

Mas você pode está perguntado: porque borboleta AZUL? Respondo azul porque é a cor do céu, do mar, dos meus olhos, por ser minha cor preferida, por representar a liberdade!

E quem me conhece sabe, que a borboleta azul tem um forte significado para esta que vos escreve.  Por isso, vamos viver como as borboletas! Sejam elas azuis, vermelhas, pretas, amarelas e suas múltiplas cores. Sabe quando estamos passando por um momento de forte emoção e temos aquela sensação de está com muitas borboletas dentro da barriga? É mais ou menos por aí que começamos a viver como uma borboleta.

 

Luciana Roco

Sobre Luciana Roco

Mineira,amiga, filha, sobrinha, neta, tia e advogada. Uma mulher que sempre busca novas experiências, dentre elas, escrever sobre o universo feminino.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *