Identidade de gênero e sexualidade

Muita gente confunde tudo quando o assunto é gênero e sexualidade. Eu mesma não entendia direito até que me senti obrigada a estudar, porque já não me sentia totalmente contemplada pelo termo BIsexual. Não gosto dessa ideia de binariedade, “tem homem e tem mulher, ou um ou outro” e foi aí que eu descobri o intergênero e o pansexual.

Antes de qualquer coisa, vamos entender o que é o quê. As pessoas costumam pensar que gênero define sexualidade e vice-versa. Quando na verdade são duas coisas totalmente distintas.

O gênero é com qual sexo a pessoa se identifica: feminino, masculino ou intergênero. Explicando intergênero: são pessoas que se dividem entre feminino e masculino. Elas se sentem confortáveis sendo tratadas como elA ou elE, não sentem necessidade de se limitar a um só gênero. Por exemplo, Liniker é um@ cantor@ que se identifica como intergênero.

“Ah Ana, então o intergênero é meio a meio?” É!

“Então eles são meio gay, meio hetero?” NÃO!

Não vamos confundir gênero e sexualidade.

Sexualidade é por qual gênero a pessoa sente atração. Aí vai: quando a pessoa sente atração exclusivamente por pessoas do gênero oposto, ela é heterossexual. Quando a pessoa sente atração exclusivamente por pessoas do mesmo gênero, ela é homossexual. Quando a pessoa sente atração pelos dois gêneros ela é bissexual. Há também quando a pessoa não sente atração física, mas sente atração romântica ela é assexual.

Tá, mas e @s trangêneros?

Imagine alguém que nasceu no corpo de homem, mas se identifica com o gênero feminino, ela é transgênero. Porém isso não significa que ela seja gay, porque ainda estamos falando apenas sobre gênero. E essa moça trans sente atração pelo gênero oposto, portanto ela é heterosexual.

Mais uma vez: Imagine alguém que nasceu no corpo de mulher, se identifica como homem e sente atração pelo mesmo gênero. Ele é um trans homossexual. Entenderam agora porque a gente não pode misturar as bolas?

Outro estigma importante sobre sexualidade: Não é porque estou com alguém do gênero oposto que a partir de agora eu sou hétero. Ou não é porque estou saindo com uma moça que virei lésbica. As pessoas continuam sendo bi, pans ou polissexuais, no momento elas só estão sendo fiéis.

Mas, e quando um gênero (seja trans ou não) sente atração por homens, mulheres, intergêneros ou transgêneros? PANSEXUAL! É justamente por termos uma gama farta de opções que algumas pessoas não conseguem se restringir a essa binariedade inventada.

Existe também o polissexual, que sente atração por homens, trans, intergênero, mas não por mulheres por exemplo. Ou todos, menos homens. O Poli costuma ter uma “restrição” para algum dos gêneros.

Então agora vocês já sabem e não vão passar vergonha na frente da comunidade LGBT nunca mais! Aliás, ô pessoal do arco-íris, bora colocar um ‘P’ aí nessa sigla, né nom? E VIVA A DIVERSIDADE!

Sobre Ana, a desprendida

Despida de todos os preconceitos, grande entusiasta de toda e qualquer manifestação artística, amante do "fora do padrão" e desprendida das coisas materiais, Com 21 primaveras, essa Ana também é Maria. Ligada na da espiritualidade, na força da natureza, nos rituais ancestrais; para mim, somos seres espirituais passando por uma experiência humana. Leonina com ascendente em capricórnio e lua em câncer; Capricórnio segura (e julga, rsrs) meu ego de Leão, enquanto câncer me faz querer amar o mundo inteiro! Às vezes sou novamente uma criança encantada com as pequenices da vida, outrora uma mulher empoderada e humana que clama por justiça.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *