IDADE

Esta semana fiquei mais velha. Desde muito nova, nunca curti aniversários e nem receber os parabéns por mais uma primavera. Era educada com as pessoas, mas ficava de mau humor e, no fundo, com raiva de ficar mais velha.

                       

Até que um dia, o meu pai – homem que amo demais e admiro muito – virou para mim e falou: “filha, se você não curte ficar mais velha, sinto muito, terá então que morrer jovem, porque é a vida!” Essas palavras simples me tocaram profundamente. E, daí para frente, curto cada aniversário, quero festa e presentes.

A frase “VOCÊ ESTÁ FICANDO MAIS VELHA” pesa, principalmente para nós mulheres, a vaidade grita, as rugas aparecem, é real. O pior é a sensação de não ter feito um terço do que havia planejado aos dezoito anos, idade dos sonhos, dos amores, da vitalidade, tudo parece fácil, você tem coragem para tudo, para encarar o mundo e todas as pessoas.

E, agora, mais velha, ficamos cautelosas, pensamos mil vezes antes de falar e fazer qualquer coisa. Valorizamos o ouvir, o mais velho, damos valor às pequenas coisas, a detalhes, entendemos que a felicidade está dentro de nós mesmos e não no outro e nem nas coisas materiais da vida. Percebemos que o que buscamos aos dezoito anos sempre esteve dentro de nós mesmos e a tal maturidade mostra que nada é como nós queremos e planejamos e sim que as coisas vão acontecendo ao longo da vida. Escolhemos o caminho, seguimos e, daí para frente, é com a vida. O pior é quando descobrimos que nosso maior inimigo somos nós mesmos e não o outro e nem o tempo.

Com a maturidade você passa a dar um valor ao tempo, aos segundos, você se nega a perder tempo com brigas, discussões e procura entender o porquê daquilo e aprende em questão de segundos o que antes levava meses ou anos para entender. Você descobre o amor divino de Deus e percebe que, no final, tudo se resume a Ele e em prol Dele.

Hoje estou muito feliz em estar MAIS VELHA, sinto-me como vinho, quanto mais velho melhor. Tenho vários planos como tinha aos dezoito, só que agora sem perder tempo pensando se irá dar certo ou não. Faço, luto e aí colho, não fico presa a receita mesmo por que viver não é uma receita com medidas exatas. Pode ser que a receita que eu sempre segui dê certo para mim e para você não.

Viver e ficar velho não é uma questão de tempo e sim de mente.

Luciana Roco

Sobre Luciana Roco

Mineira,amiga, filha, sobrinha, neta, tia e advogada. Uma mulher que sempre busca novas experiências, dentre elas, escrever sobre o universo feminino.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *