Gente de coração peludo

Ouvi essa expressão de uma colega de trabalho, achei engraçado o jeito como ela falou. Depois comecei apensar em quem seria essa gente de “coração peludo”.

Descobri que são pessoas que carregam maldade no coração, que gostam de criticar, perseguir e prejudicar os outros. Encontram falhas nas pessoas e as massacram, as crucificam. Elas fazem isso dia após dia, vão minando as forças, e a nossa alegria de viver.

São vampiros sugadores da energia vital das pessoas. Como os vampiros que não suportam o sol, essa gente não suporta ver as pessoas vivendo bem, felizes, sem complicações. Então elas atacam e provocam sofrimento e o sofrimento alheio lhes dá prazer.

Essas pessoas estão presentes no nosso trabalho por exemplo. E não satisfeitas com a vida delas, começam a perseguir, criticar os colegas de trabalho. Muitas pessoas entram em depressão, não conseguem suportar a perseguição, dia após dia.

Recentemente, o cantor Champignon cometeu suicídio por não suportar as críticas maldosas sobre seu trabalho. Esse é um exemplo do poder  dessa gente de coração peludo.

Eu acredito que estamos aqui neste mundo de passagem e que deveríamos espalhar luz nos caminhos por onde passamos. E só poderemos iluminar as pessoas que passam pelos mesmos caminhos passamos se tivermos nossos corações cheios de luz.

Gente de coração iluminado transforma o mundo num lugar melhor com sua empatia, seu jeito de se importar com as outras pessoas, com seu jeito de importar com tudo que tem vida.

Hoje de manhã enquanto caminhava no Parque Portugal, vi um senhor que estava alimentando os gatos que foram abandonados no parque. Ele conversava com os gatos e os chamava  por nomes que ele mesmo os batizou. Os gatos estavam felizes ao redor dele.

Uma pessoa assim tem um coração iluminado e ilumina com sua luz o mundo ao seu redor. São pessoas assim, com pequenas ações, espalham luz por onde passam.

Essas pequenas ações, um sorriso, uma delicadeza, um carinho, parecem coisas pequenas, mas são essas pequenas coisas que tocam nossa alma e nos motivam a continuar nossa jornada até encontrarmos nosso caminho de volta para casa.

Acir, a viajante

Sobre Acir, a viajante

Faço do mundo a minha morada, conhecendo lugares nunca vistos. Conheço a mim mesma me vendo em outros rostos, em outras culturas. O meu encontro e encanto com outros mundos é o encontro e encanto com uma parte adormecida e inexplorada em mim, que anseia pelo desconhecido.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *