Feliz aniversário, mamãe!

Feliz aniversário, mamãe! 1

Meu filho me pediu para escrever em como manter vivas as pessoas mesmo elas não estando mais entre nós. Hoje é o aniversário da minha mãe e ela faleceu em abril deste ano. Todos os ano eu fazia um bolo para ela e nós comemorávamos todos juntos, as filhas, os netos.

Tudo é muito recente e o sentimento de perda ainda é muito forte, hoje passei o dia pensando nela, pensando em abraça-la e dizer: – Feliz aniversário, mamãe! Eu sinto tanto a falta dela. Acho que não temos ideia da falta que as pessoas nos fazem até que elas nos faltem.

Penso que com as mães é assim, elas estão lá o tempo todo. Quando abrimos nossos olhos pela primeira vez neste mundo, foi o rosto delas foi a primeira coisa vimos. Elas nos carregaram em seus ventres, em seus braços, depois crescemos e elas nos carregam em seus corações. Elas oram por nós, elas se preocupam, mesmo quando já estamos crescidos.

E a gente se acostuma com essa presença tão familiar, tão constante e pensamos que elas estarão conosco para sempre. Mas um dia você acorda e elas não estão mais lá. Aí você se dá conta da falta que ela faz, do vazio que ficou. Então você pensa que devia tê-la abraçado mais, ter ficado mais tempo com ela, ter dito mais vezes que a amava e o quanto ela era importante para você. Mas não é mais possível, ela não está mais lá.

Creio que devemos ser gratos e nos sentirmos abençoados por Deus ter nos dados nossas mães, mesmo que pensamos que não foi por tempo suficiente. Mesmo sentindo tantas saudades como estou agora, sou agradecida por ela ter me dado a vida, ter me amamentado, trocado minhas fraldas, ficado horas acordada à noite por minha causa e todos os sacrifícios que fez por, sou grata por ela ter me amado, por ter sido a minha mãe.

Alguém disse que as mães não morrem, elas entardecem, tingem de nuvens os cabelos e viram pôr do sol.

Feliz aniversário mamãe! Penso em você todos os dias, sinto tanto a sua falta! Queria que a senhora estivesse aqui para apagar a velinha do seu bolo e eu poder abraça-la.

Acir, a viajante

Sobre Acir, a viajante

Faço do mundo a minha morada, conhecendo lugares nunca vistos. Conheço a mim mesma me vendo em outros rostos, em outras culturas. O meu encontro e encanto com outros mundos é o encontro e encanto com uma parte adormecida e inexplorada em mim, que anseia pelo desconhecido.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *