Envelhecer…

Envelhecer... 1

Esta semana liguei para meu pai e ficamos conversando quase uma hora, ele vai completar 80 anos em setembro. Partiu meu coração enquanto conversávamos, ele é muito saudável, sempre fez esportes, mas está envelhecendo. Partiu meu coração ele me dizer que está com medo de não conseguir renovar a carta de motorista, pois não está enxergando bem, mesmo com os ósculos, ele me disse que não sabe o que vai fazer se não puder mais dirigir e que está esquecendo as coisas e que já foi a vários médicos e eles não resolvem nada, ele está muito preocupado. Me partiu o coração quando ele me pergunto: – Por que envelhecer tem que ser assim?

Fiquei pensando na pergunta dele. Também estou envelhecendo e isso me assusta. Me assusta perder a autonomia e independência. Não parece justo que seja assim. Parece que tudo acontece ao mesmo tempo, enquanto você vai amadurecendo, aprendendo com com a vida, ganhando experiencia, vai perdendo sua autonomia, suas faculdades físicas e mentais, seu corpo e sua mente vão morrendo aos poucos e isso é tão triste. Ver isso acontecer com meu pai, um homem tão ativo e animado.

Deveríamos ser preparados desde criança para envelhecer e morrer. Envelhecimento e morte é um tabu para a sociedade ocidental. Não se fala sobre a morte com as crianças. As pessoas não falam sobre envelhecer e morrer. Quando alguém da família está muito velho e doente, os familiares evitam visitar, relutam em cuidar. Mas quando nasce um bebê todo mundo quer visitar, se a mãe precisar, tem sempre alguém que pode cuidar. Mas uma pessoa idosa é o contrário.

Creio que isso acontece não porque as pessoas são ruim, elas têm medo, elas sabem que é o futuro de todos nós. Temos a tendencia de fugir das coisas que nos assustam. Não sabemos lidar com o inevitável. Então as pessoas vivem como se nunca fossem envelhecer, como se nunca fossem morrer. E por causa disso muitos passam pela vida e não vivem, não aproveitam as alegrias simples da vida, os pequenos prazeres com a família e amigos. Que possamos refletir sobre nossa existência, nos permitir mais, perdoar mais, amar mais, enfim ser mais feliz. A vida é curta demais para viver sofrendo e amargurado.

Acir, a viajante

Sobre Acir, a viajante

Faço do mundo a minha morada, conhecendo lugares nunca vistos. Conheço a mim mesma me vendo em outros rostos, em outras culturas. O meu encontro e encanto com outros mundos é o encontro e encanto com uma parte adormecida e inexplorada em mim, que anseia pelo desconhecido.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *