É preciso enfrentar a dor do sentimento de criação

É preciso enfrentar a dor do sentimento de criação 1A frase do título foi dita pelo meu orientador em nossa última reunião. É fato: pensar dói. E criar algo com base no seu esforço dói mais ainda. É muito fácil ler uma dúzia de livros e escrever algo semelhante, “digerir” o que foi lido, “reciclar” e escrever algo “quase” novo. Agora, ler uma dúzia de livros, pensar, refletir e escrever algo totalmente novo que não havia sido pensado… aí está o que é difícil, a dor.

Tenho pensado muito sobre a dificuldade de ter ideias brilhantes e escrever algo inédito, fantástico na minha tese. Outro dia eu vi uma tirinha de história em quadrinhos que tentava explicar o que é doutorado. Se você imaginar que todo o conhecimento do mundo é uma esfera, doutorado nada mais é do que um “calombinho” nessa esfera. É um pontinho minúsculo que tenta ir além de tudo que foi feito dentro dessa esfera. É aquele átomo de conhecimento que ultrapassa o limite do que se sabe do mundo.

Mais do que ler livros e ter ideias mirabolantes… para criar algo é preciso observar, estar atenta e pensar. Pensar, pensar, pensar. Sempre. Fazer associações de ideias. Testar possibilidades. Viajar. Para outros lugares e nos seus pensamentos. A equação seria mais ou menos assim: leitura + pensamento + reflexão + viagens + atenção = boas ideias. Vamos tentar? 加油!

Lúcia, a exploradora

Sobre Lúcia, a exploradora

Estou sempre disposta a enfrentar os desafios que a vida ousa colocar em meu caminho. Uma feminista a explorar novos olhares, novos contornos. Escritora, tradutora, amante das letras e dos livros. Adoro conhecer o mundo, mas principalmente, as pessoas e suas mais incríveis histórias. Eu, exploradora de mim.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *