Como eu era antes de você

Como eu era antes de você 1

Ontem eu fui assistir ao filme: “Como eu era antes de você”, o filme é uma adaptação do livro de autora inglesa, Jojo Moeys. Eu não li o livro, mas pretendo ler.

Quando o filme começa, pensamos que se trata da mudança de vida do personagem que sofreu o acidente e ficou tetraplégico, mas o filme me surpreendeu, pois as mudanças mais marcantes acontecem na personagem que é contratada como cuidadora dele.

A sinopse é esta: Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

A história é linda e tocante, a fotografia é encantadora. Todos ficam chocados e indignados que mesmo o personagem encontrando o amor, continua decido a morrer por não conseguir viver daquela maneira.

Eu consegui entender, não foi egoísmo dele desistir da vida. Se eu me encontrasse na mesma situação dele também preferia morrer.

Todos no cinema saram dizendo o quanto ele era egoísta por decidir morrer mesmo tendo se apaixonado e sendo correspondido.

Fiquei pensando se os egoístas seriam todos que estava ali, pois quando estamos saudáveis é fácil dizer á alguém que se encontra em uma situação irreversível não desistir e lutar pela vida. Fiquei pensando como eu me sentiria se estivesse numa situação dessas. Eu teria forças para lutar pela vida? Eu teria coragem e força suficiente para não desistir? E você como se sentiria?

Acir, a viajante

Sobre Acir, a viajante

Faço do mundo a minha morada, conhecendo lugares nunca vistos. Conheço a mim mesma me vendo em outros rostos, em outras culturas. O meu encontro e encanto com outros mundos é o encontro e encanto com uma parte adormecida e inexplorada em mim, que anseia pelo desconhecido.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *