Aqui jaz


Hoje eu trouxe para vocês, um poema…

Aqui jaz um corpo de mulher

Que trazia na alma a luz

E no coração o calor do sol de verão

 

Aqui jaz um corpo de mulher

O corpo de uma mulher dúbia

Uma mulher dúbia de amores

 

Aqui jaz um corpo de mulher

Que concebeu, que pariu

Que amou no outono da vida

 

Aqui jaz um corpo de mulher

que gozou e fez gozar

Sem nenhum pudor

 

Aqui jaz um corpo de mulher

Que quis voltar o tempo

E foi consumida por ele

 

Aqui jaz um corpo de mulher

Que se fez amada

Aqui jaz um corpo de mulher liberta

Acir, a viajante

Sobre Acir, a viajante

Faço do mundo a minha morada, conhecendo lugares nunca vistos. Conheço a mim mesma me vendo em outros rostos, em outras culturas. O meu encontro e encanto com outros mundos é o encontro e encanto com uma parte adormecida e inexplorada em mim, que anseia pelo desconhecido.

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *