Alegria em ter saudade

É com grande satisfação que hoje, escrevo meu primeiro texto no Faces Femininas para falar um pouco sobre este universo tão amplo que envolve o nosso ‘ser mulher’.

Neste primeiro post, pensei abordar vários assuntos tais como amor, sexo, moda, beleza e por aí vai… Nos próximos, até falarei sobre isso, mas, optei por um tema mais universal em decorrência do meu atual estado de espírito: a saudade!

Esta que podemos sentir de infinitas formas. A minha geralmente é antecipada. Lembro que quando criança, com uns oito, nove anos, ficava pensando o quanto iria ter saudade do cheiro das papoulas que colhia no meio do caminho da escola para casa, e da sopa de carne que minha avó preparava na janta, da poeira levantada na rua quando eu brincava de queimada com meus amigos, de em todo aniversário meu ouvir minha mãe contar a história de como eu nasci, das conversas sobre sindicalismo com meu avô e a benção que ele me dava toda vez que me via. Engraçado que, mesmo muito novinha tinha consciência que aquilo não seria pra sempre.

Há exatamente cinco meses, perdi fisicamente um dos homens que mais amei na vida: o meu avô. Ele, que foi um verdadeiro pai, amigo e companheiro para todas as horas, durante os 26 anos de minha existência, me ensinou as mais belas lições de vida. Tive muita saudade antecipada antes dele partir. Por sua idade avançada, pela lei natural da vida sabia que ele iria primeiro que eu, e, por por ter tido essa consciência, todos os momentos que vivi ao seu lado tratei de aproveitar, como diria o Renato Russo, ‘como se não houvesse amanhã’. Talvez seja por isso que, quando penso nele, ao invés de tristeza, sinto uma imensa paz em meu ser, porque sei que vivemos juntos (mesmo querendo ter vivido mais), tudo o que era para viver.

E é esta saudade que devemos sentir em nossas vidas pois as coisas boas não são passageiras, elas permanecem vivas em nossos corações. Nada de dor. Apenas a alegria em ter tido a oportunidade de vivenciar belas histórias com grandes pessoas. Estas que devem ficar eternizadas em nossas lembranças para nos ajudar não só a valorizar mais o presente, mas principalmente a refletir sobre o futuro queremos.

Daniella, a intensa

Sobre Daniella, a intensa

Para viver preciso acreditar nos sentimentos mais profundos que a alma humana pode oferecer. O infinito para mim é bastante atraente e o "meio termo" praticamente não existe. Tenho uma alma intensa, carismática, dramática. E é com toda essa intensidade que procuro dar o meu melhor como mãe, esposa, filha, irmã, amiga, jornalista, poetisa!

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *