A praça

Mais uma tarde de primavera. Junto à filhota, carrego a alegria de novamente poder levá-A praça 1la à querida pracinha. Em meio aos banquinhos, árvores, grama, terra e aquele ‘tiquinho de gente’ saltitante a correr desembestada rumo ao parquinho. Antes da chegada, algumas distrações.

– Olha lá o cachorrinho!
– Ca, ca ,ca …
– O passarinho!
– pi, pi, pi…

Ah, mas o melhor mesmo é encontrar as crianças da praça. Juntas, todas seguem para brincar no parque. A amizade pode até ser momentânea, mas, certeza que o aprendizado daquele momento durará uma vida inteira.

E nós, mães, reaprendemos tantas outras coisas… Sim, pois a cada novo coleguinha do filho, existe também outra mãe de “tira colo”. Isso significa ter uma grande oportunidade de trocar experiências e saber que você não é a única a não deixar (ainda) o filho numa creche, na casa da avó ou com uma babá.

É verdade que tem aquelas mães que mal têm coragem de levantar as nádegas do banquinho da praça para ir lá brincar junto com a criançada, nem que seja para se solidarizar a você que está lá fotografando o momento e inventando mil e uma brincadeiras para distrair todo mundo, inclusive o filho dela. Muitas sequer te direcionam o olhar, pois só conseguem enxergar o celular. Será que elas se comunicam por telepatia com o filho? Ou teria algum “app” para isso? Quero saber o segredo. Quando ela olhar pra mim eu pergunto! Ih, não deu. Ela já se levantou (olhando para o celular) e o filho, claro, já entendeu o recado e junto com ela se foi…

A praça 3


Por isso valorizo demais as mães sorrisos. Aquelas que, independente das circunstâncias cotidianas, não perdem a chance de fazer aquele momento valer a pena. E olha que para encontrá-las não é tão difícil não. Basta simplesmente você ser uma delas. Até mesmo naqueles dias mais difíceis. É justamente nestes dias que muita coisa pode mudar em sua vida só porque você não deixou de ir a uma mera praça perto de casa e perceber o mundo a sua volta. 

Daniella, a intensa

Sobre Daniella, a intensa

Para viver preciso acreditar nos sentimentos mais profundos que a alma humana pode oferecer. O infinito para mim é bastante atraente e o "meio termo" praticamente não existe. Tenho uma alma intensa, carismática, dramática. E é com toda essa intensidade que procuro dar o meu melhor como mãe, esposa, filha, irmã, amiga, jornalista, poetisa!

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *