A arte no dia a dia para redescobrir emoções

Perceber a arte em nosso cotidiano, nem sempre é uma tarefa fácil, afinal, são tantas as responsabilidades diárias, que sobra pouco tempo para estes detalhes, certo? Nem tanto. Enxergar o belo em nossa volta pode ser mais simples do que muitos imaginam.

Arte de Romero Brito

Alternativas para observar o mundo de outra forma é o que não faltam: seja no simples ato de perceber uma grafitagem na parede daquele muro localizado na rua onde você passa, numa exposição em algum centro cultural do seu bairro, no cara que faz malabares no farol, na letra da música que você escuta em seu MP3 ou mesmo no jeito que a folha de uma árvore cai enquanto você passa por debaixo dela.

A atriz e professora de teatro, Flávia Melman, acredita que a arte existe para legitimar nossas impressões e opiniões sobre aquilo que nos cerca. “Sendo assim, a arte tem como valor social, integrar as pessoas naquilo que elas buscam”, afirma. Na busca por essa legitimação, a administradora Silvana Cruz conta que para perceber mais a arte na seu dia a dia ela se matriculou numa oficina de Clown em uma escola de artes. Segundo ela, a partir desta iniciativa sua vida tomou outro rumo. “Resgatar nossos valores de alguma forma sempre é bom e no meu caso, busquei esta oficina para estimular mais o meu lado cômico. Lá redescobri minha verdadeira espontaneidade o que ajudou bastante nas minhas relações sociais”, revela.

Arte de Frida Kahlo

Durante nossa trajetória, é comum nos enxergamos de diferentes formas. Obviamente tudo vai depender do momento de cada um. E as atividades artísticas ajudam bastante neste processo de redescoberta sobre si mesmo. Após grandes traumas, por exemplo, a arte tem até valor psicoterapêutico.  Inclusive este foi o caso da famosa pintora mexicana Frida Kahlo (1907-1954), que após um terrível acidente de ônibus, descobriu, ainda enferma, seu talento para a pintura. Durante toda sua vida artística, ela retratou o sofrimento de uma forma muito peculiar e assim sua trágica vida foi transformada em arte.

Por isso, independente da forma, o importante é não deixar de perceber a arte em sua volta. É por meio dela que podemos descobrir e expor, com todas as licenças possíveis e imagináveis, os mais incríveis enigmas da vida. É só se deixar tocar!

Daniella, a intensa

Sobre Daniella, a intensa

Para viver preciso acreditar nos sentimentos mais profundos que a alma humana pode oferecer. O infinito para mim é bastante atraente e o "meio termo" praticamente não existe. Tenho uma alma intensa, carismática, dramática. E é com toda essa intensidade que procuro dar o meu melhor como mãe, esposa, filha, irmã, amiga, jornalista, poetisa!

Ver tudo

Comente este post!

O seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados (*)

Comentário *